Mato Grosso do Sul projeta colher 1,7 milhão de toneladas de soja a mais nesta safra

Segundo divulgou a Aprosoja nesta segunda-feira, a previsão de produção é demais de 10 milhões de toneladas na safra 2018/19.


O plantio de soja em Mato Grosso do Sul deve ultrapassar 10 milhões de toneladas, 1,7 milhão a mais em relação à projeção da safra anterior que, quando colhida, superou em 400 mil toneladas a estimativa. De acordo com os dados levantados pelo Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio, ferramenta de monitoramento da Aprosoja/MS, a área disponível para o plantio da oleaginosa também subiu, saindo de 2,8 para 3 milhões de hectares, com produtividade prevista em 59,2 sacas por hectare em 2018/19.

O anúncio dos dados foi feito nesta segunda-feira (17), durante a Abertura do Plantio de Soja Brasil safra 2018/19, na fazenda Jaraguá, em Terenos. O evento contou com a participação de mais de 600 pessoas, entre produtores rurais, profissionais e estudantes do setor, além de lideranças rurais e políticas. O presidente da Associação dos Produtores de Soja de MS, Juliano Schmaedecke, destacou que a safra recorde no Estado é a comprovação da consolidação da agricultura em Mato Grosso do Sul. Ele disse que, em 20 anos, a produção estadual de soja cresceu 320%. “Esse resultado não seria possível sem o trabalho do agricultor sul-mato-grossense e sem o avanço das pesquisas”, disse.

As chuvas não impediram a abertura simbólica do plantio da soja que contou com a presença do vice-presidente da Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; diretor-secretário do Sistema Famasul, Frederico Stella; a diretora-tesoureira da Federação, Thais Carbonaro Faleiros; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan, a diretora-técnica da Federação, Mariana Urt; a deputado federal, Tereza Cristina Correa Dias; o deputado estadual, Enelvo Felini; o vice-presidente da Aprosoja/MS, André Dolbaschi; o ex-presidente da Aprosoja/MS; Christiano Bortolotto; presidente da Fundação MS, Luciano Mendes; o superintendente da SFA/MS, Celso Martins; o presidente da OCB/MS, Celso Ramos Regis; o presidente do MNP, Rafael Gratão, além dos presidentes dos sindicatos rurais: de Campo Grande, Ruy Fachini Filho; de Maracaju, Christiano Binz; de Terenos, João Borges e de Bandeirantes, João Lyrio, entre outros representantes do setor.



Fonte: O Progresso