Agricultura familiar: recursos devem diminuir em 2018

Para evitar os cortes, a bancada da agricultura familiar no Congresso promete se mobilizar


O governo deve diminuir os recursos da agricultura familiar em 2018, segundo avaliou as lideranças do setor após a divulgação da proposta do orçamento para a União para o ano que vem. Para evitar os cortes, a bancada da agricultura familiar no Congresso promete uma mobilização. Os representantes no Congresso acreditam que o orçamento do Ministério do Desenvolvimento Social não vai ser suficiente, já que as despesas da pasta aumentaram mais de 5% na previsão para 2018 e, com isso, podem faltar recursos para alguns programas como o de segurança alimentar e nutricional, que pode sofrer corte acima dos 80%.


“O governo tem feito corte na área de assistência técnica, na aquisição de alimentos, nos territórios regionais que discutem o desenvolvimento regional. Esse governo que está aí não tem compromisso com a agricultura familiar”, disse o deputado federal Dionilso Marcon, do PT. Mesmo com os desafios, os parlamentares prometem brigar para garantir mais dinheiro para os programas da agricultura familiar. Segundo Heitor Schuch, do PSB, a previsão do ministério é correta. “Fez a primeira previsão em cima do déficit de R$139 bilhões.


Agora, a Câmara autorizou aumentar isso pra R$ 159 e essa margem de R$ 20 bilhões vai retirar uma parcela da agricultura familiar. O ideal, nesse caso, seria avançar no processo para garantir em 2018 o que temos em 2017 organizado no orçamento”. A previsão para o orçamento do Ministério da Agricultura também é negativa, segundo o levantamento, que registrou queda de mais de 17% para o ano que vem.


Fonte: CANAL RURAL