Preço da soja reage, mas ainda tem baixa acumulada no mês, diz Cepea

Os preços da soja no mercado interno reagiram na última semana, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Os pesquisadores acreditam que a maior demanda do mercado externo levou à mudança na direção das cotações, que vinham caindo desde dezembro de 2016.

Entre os dias 6 e 13 de abril, o indicador com base no corredor de exportação de Paranaguá teve uma alta de 3%, chegando a R$ 66,24 a saca de 60 quilos na quinta-feira, último dia útil da semana. A referência com base na média dos negócios no Paraná subiu 2,8%, fechando a R$ 61,34 a saca.

“Os valores também foram impulsionados pela retração de produtores, que reduziram o volume ofertado após os preços domésticos terem voltado aos menores patamares em cinco anos”, diz o Cepea, em nota divulgada nesta segunda-feira (17/4).

Ainda conforme os pesquisadores, as chuvas em regiões produtoras da Argentina foram outro fator de pressão. A situação criou uma expectativa de menor produção no país. As cotações internas refletiram ainda altas da soja na Bolsa de Chicago, que elevam a paridade de exportação.

A reação da última semana, entretanto, não foi suficiente para reverter a baixa neste mês nos preços de referência para a soja em grão. O indicador com base em Paranaguá tem desvalorização de 0,75% e o com base na média do Estado do Paraná acumula redução de 0,65%.