AgRural eleva previsão para a safra de soja no Brasil

Com o plantio acelerado em todo o país e o registro de chuvas generosas em regiões que estavam precisando de água, a safra de soja tende a ser maior que o esperado. Na avaliação da consultoria AgRural, a produção da oleaginosa no Brasil deve chegar a 101,8 milhões de toneladas, 1,4 milhão a mais que o estimado pela empresa até semana passada. O aumento se deve a uma revisão na área ocupada pela cultura, especialmente no Matopiba, que abrange os estados de Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia. Nessas localidades, o clima seco e quente prejudicou severamente os resultados das lavouras nas ultimas quatro safras. Mas, por enquanto, não há relatos de problemas preocupantes, conforme monitoramento da AgRural.

Além disso, a consultoria soltou sua primeira projeção para expectativa de produtividade por estado. Até mês passado, uma linha de tendência era usada para calcular o tamanho da safra brasileira. “Enquanto Centro-Oeste e Norte/Nordeste têm expectativa de aumento da produtividade após a quebra por seca na safra passada, Sul e Sudeste estão com produtividade ligeiramente mais baixa que a de 2015/16 – não porque haja problemas nessas regiões, mas porque a produtividade da safra passada foi alta. Uma nova revisão será feita em meados de janeiro”, diz um trecho da nota da empresa.

Lavouras

De acordo com levantamento da AgRural, o plantio da soja segue na reta final, com os trabalhos concentrados na região Norte e Nordeste. Até o momento, 95% da área estimada para a cultura foi plantada, contra 90% registados na semana passada. O registro de chuvas em algumas regiões tem favorecido o desenvolvimento das lavouras, segundo a empresa, como o sul de Mato Grosso do Sul e Norte do Paraná, que vinham sofrendo com um período seco. “As precipitações levaram alívio aos produtores e beneficiaram principalmente as lavouras plantadas mais tarde, que ainda estão em fase vegetativa. Nas áreas semeadas mais cedo, porém, que já estavam em floração durante a falta de chuva, o potencial produtivo pode ter sido prejudicado”, diz outro trecho da nota divulgada pela consultoria.

Fonte: Revista Globo Rural